Anualmente, cerca de 300 mil pessoas no Brasil morrem vítimas de arritmias cardíacas. Dentro desta estatística, uma grande parte nem sequer chegou a descobrir, ao longo de sua vida, que sofria de algum problema no coração. Diante deste estado de alerta em relação à doença, o dia 12 de novembro é lembrado como a data na qual são realizadas, por todo o país, ações de conscientização e prevenção.

A arritmia consiste em um aumento no batimento cardíaco e pode ter sua causa em inúmeros fatores. Anemia, ansiedade, estresse, ventilação excessiva ou falta de oxigênio no sangue são alguns dos quadros que podem resultar em um quadro de arritmia.

O problema também é responsável por causar mortes súbitas, ou seja, comumente não apresenta sintomas durante seu desenvolvimento. Por isso, a melhor forma de prevenção é realizar exames regularmente com cardiologistas e não deixar para buscar ajuda médica quando o aceleramento for identificado. Para definir um tratamento, é preciso conhecer a causa do problema, ou seja, durante o exame, o profissional fará um interrogatório a fim de conhecer o modo de vida do paciente e analisar qual fator é o responsável pela arritmia. Entre os tratamentos mais recorrentes, estão a prescrição de medicamentos, cardioversão elétrica, adoção de um estilo de vida mais saudável ou cirurgia.

Este 12 de novembro, além de nos lembrar da fatalidade da arritmia, serve para nos lembrar do quão importante é visitar um médico regularmente. Muitas doenças – por vezes fatais – não apresentam sintomas que possibilitem diagnóstico precoce e, quando identificadas, pode ser tarde demais. Jamais deixe a sua saúde para amanhã e lembre-se de manter seu coração no ritmo certo.