Segundo estimativas da OMS, a cada 10 segundos alguém morre por AVC no mundo. Na tentativa de amenizar a gravidade desta estatística, foi instituído que o dia 29 de outubro deve ser lembrado como o Dia Mundial de Combate ao AVC. A data é marcada por ações preventivas e de conscientização que são realizadas por todo o mundo.

O acidente vascular cerebral, também conhecido como derrame, acontece quando os vasos que levam sangue ao cérebro são entupidos (AVC Isquêmico) ou rompidos (AVC Hemorrágicos). Consequência disso é a paralisia da área cerebral que deixou de receber a circulação sanguínea adequada.

O AVC pode apresentar alguns sintomas, como diminuição ou perda súbita da força na face, braço ou perna de um dos lados do corpo, bem como a sensação de formigamento nos mesmos. A perda súbita de visão, alteração da fala (dificuldade na articulação, expressão ou compreensão da linguagem), dor de cabeça sem causa aparente, vertigem e náuseas também são sinais da doença.

Tratamento e prevenção

Uma pessoa vítima de AVC será tratada de acordo com as particularidades de seu caso. Uma equipe multidisciplinar de profissionais da saúde (fisioterapeutas, psicólogos, etc.) deve analisar a situação, para que o paciente possa ter a melhor recuperação possível, bem como manter a qualidade de vida, uma vez que, além de ser uma das maiores causas de morte no mundo, a patologia é uma das que mais incapacitam indivíduos para a realização de atividades cotidianas.

Alguns dos fatores de risco que contribuem para o seu aparecimento não podem ser modificados, como constituição genética. No entanto, a hipertensão arterial, a diabetes mellitus, doenças cardíacas, enxaquecas, uso de anticoncepcionais hormonais, ingestão de bebida alcoólica, fumo e sedentarismo são alguns dos hábitos e aspectos que tornam o risco maior. Dessa forma, é fundamental manter um estilo de vida mais saudável possível.

A conscientização está próxima!

Em Caxias do Sul, o Hospital Pompéia realizará em seu jardim várias ações de conscientização nesta quinta-feira (29). Voltado para a comunidade em geral, o trabalho teve início às 9h e seguirá até às 16h. No local serão prestados serviços gratuitos, como medição de pressão arterial e orientações de saúde. As ações contam com a colaboração de estudantes e professores enfermeiros da Escola de Educação Profissional em Saúde do Hospital Pompéia.