A terapia ocupacional realizada para manter a saúde dos trabalhadores você já conhece. Mas sabia que ela também é indispensável na família, em idosos, etc.? A nossa terapeuta Tatiane Ferreira Barp escreveu sobre esta prática:

 

A Terapia Ocupacional pode ser entendida como uma profissão da área da saúde, que preferencialmente se utiliza da atividade como recurso terapêutico, com a finalidade de prevenir, curar ou amenizar dificuldades e/ou problemas que desorganizam a vida do indivíduo e de sua família. O Terapeuta Ocupacional é um profissional apto a atuar de forma abrangente, em todas as áreas que envolvem a saúde do homem. Trabalha com indivíduos de todas as idades, entendendo, principalmente, que cada paciente é único, isto é, alguém que independente de sua patologia e diagnóstico, sente, pensa e deseja. Neste processo, utiliza-se principalmente de atividades, sejam elas motoras, intelectuais, recreativas, expressivas.

 

10654184_869990823013643_1699032363_n

 

O trabalho do T.O busca alcançar objetivos comuns relacionados também a todos os membros envolvidos no processo terapêutico: paciente, família e terapeuta. Considera, principalmente, as necessidades individuais de cada um, bem como respeita suas dificuldades e limitações. O profissional pode se valer de atividades técnicas, de artesanato, de expressão artística, de habilidades domésticas e de lazer, utilizando-as e adaptando-as de acordo com as necessidades apresentadas pelo paciente, de modo a melhor integrá-lo ao meio ao qual pertence.

Erroneamente a Terapia Ocupacional foi conhecida como “ocupação”, “recreação”, “distração de pessoas e/ou pacientes”, incapacitados para a vida e para o trabalho. Hoje, é comprovada a contribuição da Terapia Ocupacional na:

ü  Investigação diagnóstica;

ü  Reabilitação das funções físicas, sociais e mentais do indivíduo;

ü  Estimulação da independência nas Atividades de Vida Diária (AVD`s) e Atividades de Vida Prática (AVP`s);

ü  Confecção de adaptações;

ü  Ajuda na função do indivíduo, dentro do seu ambiente familiar e social;

ü  Prevenção da ociosidade e da depressão;

ü  Ampliação da qualidade de vida, dentro das possibilidades e limitações do indivíduo, etc.

 

O campo de atuação da Terapia Ocupacional é muito amplo. Alguns destes lugares são:

 

ü  Centros de reabilitação; Centros de convivência;

ü  Instituições geriátricas; Ambulatórios;

ü  Clínicas especializadas; Centros de saúde;

ü  Indústrias/ empresas;

ü  Hospitais- dia; Clínicas psiquiátricas,

ü  Escolas e creches; Projetos sociais;

ü  Instituições penais;

ü  Consultórios particulares;

ü  Atendimentos a domicílio;

ü  Hospitais gerais e especializados;

ü  Estabelecimentos de ensino superior, entre outros.

 

Para o paciente idoso podemos ter uma atividade intensa, tanto na realização de exercícios físicos, buscando melhorar a força, o equilíbrio, o alongamento, a mobilidade, a capacidade respiratória. O idoso, na média, é muito sedentário e, quando doente, a situação piora. É necessário incentivá-lo à prática de atividades físicas.

Dentro de um hospital o serviço de um Terapeuta Ocupacional é abrangente. Como existem diversos setores o Terapeuta Ocupacional pode inserir-se nos atendimentos no leito, sala de espera, salas de recreação infantil, etc. Setores de neurologia, traumatologia, gineco-obstetrícia, entre outros, são setores onde se pode ter o atendimento deste profissional, também.

O Terapeuta Ocupacional é essencial para este conjunto de pacientes que tem a normalidade de sua vida interrompida pela patologia instalada pelo trauma. Intervindo no cotidiano hospitalar de modo a promover a qualidade de vida e o desempenho ocupacional durante a internação, por meio da humanização do ambiente, dos atendimentos e das relações interpessoais, orientando em relação aos cuidados básicos, as atividades de vida diária e a reinserção social e no trabalho, entre outras possibilidades.

O terapeuta ocupacional está habilitado para elaborar e adaptar instrumentos e equipamentos que venham proporcionar autonomia e melhor desempenho das atividades cotidianas das pessoas, levando em consideração as condições de cada um e orientando os familiares e cuidadores responsáveis, para o manejo adequado com os instrumentos e os indivíduos.

A atuação do terapeuta ocupacional inicia a partir de um diagnóstico da realidade de vida da pessoa considerando toda sua problemática e para tanto, utiliza procedimentos adequando as necessidades e as expectativas da pessoa que procurar o tratamento com este profissional.

 

Tatiane Ferreira Barp

Terapeuta Ocupacional

CREFITO 5/7538 – TO