bipolar

 

Todo mundo tem os seus altos e baixos na vida, entretanto, quando essas alterações de humor são muito recorrentes e fortes, é necessário ficar atento. Um dos problemas que podem estar relacionados com estas alterações drásticas é o transtorno bipolar (TB). O indivíduo que sofre com o TB vive momentos depressivos, que misturam-se com momentos de euforia – também chamado de “mania” -, e que ocorrem em diferentes graus de intensidade.

O transtorno bipolar pode ser encontrado em três tipos:

  • Tipo 1: nestes casos, os pacientes apresentam pelo menos um quadro de depressão e de mania. Antigamente, o Tipo 1 era chamado de “depressão maníaca”, e hoje ocorre em cerca de 1% da população.
  • Tipo 2: o paciente alterna entre quadros de depressão e momentos de euforia – mais leves do que os quadros maníacos. É recorrente em cerca de 8% da população.
  • Ciclotimia: os pacientes que apresentam este quadro alternam entre momentos de depressão e euforia mais leves do que nos outros tipos. É muito comum que a Ciclotimia, e também o Tipo 2 do transtorno, sejam confundidos com depressão.

As causas do transtorno bipolar podem ser diversas: peculiaridades biológicas (principalmente no cérebro), desequilíbrio dos neurotransmissores, experiências traumáticas e hereditariedade, uma vez que 50% dos pacientes com TB apresentam outros casos de transtorno na família, além do fato de que filhos de portadores de TB têm mais chances de apresentar o mesmo problema futuramente.

O transtorno bipolar pode apresentar vários sintomas, que comumente surgem na adolescência. Alguns dos que surgem na fase maníaca são:

  • Dificuldade em se concentrar
  • Compulsão alimentar, alcoólica ou por drogas
  • Hiperatividade
  • Redução no sono
  • Fala em excesso
  • Pensamentos que se atropelam
  • Grande agitação ou irritação
  • Falta de controle sobre o próprio temperamento
  • Gastos excessivos

Já para os quadros da fase depressiva os sintomas são:

  • Desânimo e tristeza diários
  • Fadiga ou falta de energia
  • Perda ou ganho de peso e apetite
  • Desinteresse em atividades que antes eram prazerosas
  • Afastamento do grupo de amigos
  • Baixa autoestima
  • Problemas para dormir ou excesso de sono
  • Sentimento de desesperança, inutilidade ou culpa

Segundo a Associação Brasileira de Transtorno Bipolar, a mortalidade dos portadores de TB é alta, e a causa principal é o suicídio, mais frequente entre os jovens. Dados apontam que até 50% dos portadores tente suicídio pelo menos uma vez, e 15% o cometem de fato. Obesidade, problemas cardiovasculares e diabetes são outros problemas muito frequentes entre os pacientes, uma vez que, nestes casos, suas ocorrências são maiores do que na população geral.

Muitos destes sintomas geralmente são confundidos como fatores normais do dia a dia, entretanto, não se pode esquecer jamais de que os problemas emocionais são tão importante quanto os físicos, merecem o mesmo nível de atenção e cuidado e têm tratamento. O diagnóstico do TB é difícil, uma vez que não raro é confundido com outros problemas. Este engano por ter consequências ruins, uma vez que a falta de tratamento pode agravar o índice de suicídios, por exemplo.

Após consultar um – ou mais – especialista, e obter o diagnóstico, é comum que sejam prescritos medicamentos que estabilizem o humor. Também possível que sejam receitados antidepressivos e antipsicóticos, caso seja necessário controlar casos graves de depressão e de mania. Além disso, o tratamento com psicólogos ou psiquiatras é fundamental.

Não se pode ter um físico saudável quando a mente está com problemas. A saúde só é possível quando corpo e mente estão bem – e em harmonia. Ao identificar qualquer um destes sintomas, procure ajuda para compreender o que está acontecendo com a sua saúde emocional. Afinal, saúde também é conhecer o próprio corpo – em toda a sua totalidade.