Como vocês já sabem, sexta-feira é o da semana no qual os participantes do Desafio 360 vão à Rádio Gaúcha Serra – no programa Gaúcha Hoje – para contar como tem sido o cultivo de hábitos saudáveis em suas vidas. Você também pode iniciar uma vida repleta de hábitos saudáveis junto com os participantes, para isso, além de acompanhá-los, o Fátima Saúde traz uma série de dicas que podem te ajudar em sua trajetória.

Nesta semana, o post é sobre vegetarianismo. Para compreender como funciona este estilo de alimentação, é preciso ter consciência dos “tipos” de vegetarianos: alguns abrem mão apenas do consumo de carne, mas não de outros alimentos de origem animal, como leite e ovos. Também há aqueles que abrem mão de qualquer alimento de origem animal, chamados de veganos. Diferenças à parte, é muito comum que as pessoas tenham dúvidas sobre os pormenores da alimentação destas pessoas.

Segundo a nutricionista Juliana Dantas, uma dieta vegetariana não apresenta riscos quando é bem planejada. Ou seja, desde que os “alimentos certos” sejam consumidos, não há risco de o corpo sofrer com falta de nutrientes. Sob esta perspectiva também é possível afirmar que os vegetarianos não têm tendência a sofrer de disfunções alimentares, como é comum se ouvir. De acordo com cientistas da Universidade de Oxford, o índice de hospitalização e morte por doenças cardiovasculares entre vegetarianos é 32% menor em comparação às pessoas que consomem carne.

Uma dieta vegetariana também não é carente em proteínas. Aqueles que ingerem ovos e leite obtêm as quantidades necessárias nestes alimentos, enquanto os veganos podem ingeri-las por meio do consumo de leguminosas, como feijão, lentilha, soja ou grão-de-bico.

Outros mitos que costumam ser reproduzidos a respeito dos vegetarianos afirmam problemas relacionados à gestação e à perda de massa muscular com o passar do tempo. A nutricionista Juliana ressalta que, desde que se alimente adequadamente, um vegetariano pode dar ao seu organismo todos os nutrientes, proteínas e vitaminas que precisa. Por este motivo, gestantes vegetarianas não precisam se preocupar com seu estilo alimentar. Em relação à perda de massa muscular, a profissional explica que é uma consequência comum a todas as pessoas, sejam elas vegetarianas ou não.

Sendo assim, se o seu estilo de vida envolve renunciar ao consumo de carne, fique tranquilo. Sua saúde não será prejudicada com a nova dieta e isso ainda fortificará a sua ideologia. Afinal, aderir ao vegetarianismo, na maioria das vezes, é uma escolha que vai muito além de simplesmente “não comer carne”.